Inicial ARTIGOS Crenças fundamentais dos adventistas: o ministério de Cristo no Santuário Celestial – Parte 3

Crenças fundamentais dos adventistas: o ministério de Cristo no Santuário Celestial – Parte 3

17 minutos de leitura
0
0
95

Tudo no Santuário aponta para Jesus. Veja o que falta acontecer antes do retorno dEle.

Saudações, amigos. Hoje concluímos nossa série de três partes sobre o que Jesus está fazendo no céu agora, ao considerarmos o “Ministério de Cristo no Santuário Celestial”. Esta é a nossa Crença Fundamental Adventista do Sétimo Dia nº 24, conforme descrito no site adv.st/crencas.

Anteriormente, vimos como o santuário terrestre e todos os seus serviços apontavam para Jesus, o Cordeiro de Deus. Mas, uma vez que Jesus veio à terra e assumiu as consequências do pecado por nós ao morrer na cruz, Ele acabou com a necessidade de sacrifícios de animais. Jesus é o único Sacrifício Verdadeiro que pode prover nossa salvação.

Leia também:

Advogado e Intercessor

Após Sua ressurreição e ascensão, Cristo começou Seu ministério no santuário celestial, onde serve como nosso Advogado e Intercessor. “É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós”, lemos em Romanos 8:34. Ele está entre nós e Satanás, e também nos conecta diretamente ao Pai.

O ministério de intercessão de Jesus nos dá a oportunidade de experimentar a salvação. Quando pedimos perdão, Ele aplica Seu sangue para cobrir nossos pecados. Ele também serve como nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial.

O que Cristo precisa fazer no céu antes de voltar?

Alguns podem se perguntar, no entanto: se o sacrifício de Cristo foi suficiente, o que resta fazer no santuário celestial?

É útil lembrar que no tabernáculo terrestre, depois que o cordeiro era morto, seu sangue era aspergido dentro do santuário, transferindo simbolicamente o pecado para o santuário. O pecador foi perdoado, mas seu pecado permaneceu no santuário. E assim como o serviço terreno tinha um Dia de Expiação anual para limpar o pecado do santuário, o Santuário celestial também deve ser purificado.

Mas o que significa “purificar o santuário?” No Céu, é mantido um registro da vida de cada pessoa, narrando tudo o que já dissemos ou fizemos. São esses registros que serão estudados durante o julgamento. A Bíblia nos diz: “Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más” (Eclesiastes 12:14).

Quando pedimos perdão, Jesus “é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9). E enquanto Ele se deleita em perdoar nossos pecados, Ele também tem a responsabilidade de se livrar deles.

Após 2.300 tardes e manhãs

O profeta Daniel viu o santuário celestial e sua purificação em uma visão de Deus. Durante esta visão, ele teve uma visão geral dos eventos mundiais futuros. Então ele ouviu uma discussão interessante.

“Até quando durará a visão?” pergunta a um “santo” em Daniel 8:13. Outro “santo” responde: “Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado” (Daniel 8:14).

Ao estudar esta profecia, os estudiosos da Bíblia descobriram que este período de tempo representa dois mil e trezentos anos. Daniel 9:25 explica que o início desta profecia ocorreria quando “a ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” fosse dada.

Esta ordem foi dada pelo rei Artaxerxes em 457 a.C. Começando nesta data, o fim da profecia seria no ano de 1844 d.C.

Em 1800, um grupo de crentes que leu essas profecias acreditava que a terra era o santuário, e que a purificação do santuário seria na Segunda Vinda de Jesus. Assim como o santuário terrestre era purificado no Dia da Expiação, eles acreditavam que Jesus retornaria no Dia da Expiação, em 1844, que caiu em 22 de outubro daquele ano. Imagine a grande decepção deles quando Jesus não veio na data que eles esperavam!

A terra não era o santuário

No entanto, através de mais oração e estudo da Bíblia, descobriu-se que a Bíblia não ensinava que a terra era o santuário. Eles viram que Deus tinha um santuário celestial. Assim como os sacrifícios de animais eram um tipo do antítipo do sacrifício de Jesus, o Dia da Expiação terrestre era o tipo, enquanto a purificação do santuário celestial era o antítipo. Em vez de retornar à Terra no Dia da Expiação, Deus Pai e Jesus, o Deus Filho, iniciaram o processo de purificação do santuário celestial no Lugar Santíssimo.

O sangue de Jesus é suficiente para cobrir os pecados de cada pessoa que já viveu. No entanto, deve haver um tempo de investigação: de quem Ele precisa cobrir os pecados? Quem tomou a decisão de aceitar Sua dádiva de perdão? Quem entregou sua vida a Ele?

Daniel, ao ver o julgamento em visão, escreveu: “Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou… seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente… miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros” (Daniel 7:9, 10).

A vida de cada pessoa é passada diante de Deus

À medida que os livros de registro são revisados, o caso de cada pessoa é decidido. O profeta Zacarias também fala sobre essa cena do tribunal e a descreve da seguinte maneira: Josué, um sumo sacerdote, está “diante do Anjo do SENHOR”. Satanás está “à mão direita dele, para se lhe opor” (Zacarias 3:1).

Josué percebe que ele está “trajado de vestes sujas” (Zacarias 3:3) e fica ali, envergonhado, enquanto Satanás o acusa. Seus pecados passados ​​surgem como uma razão pela qual ele não deveria ser aceito por Deus.

Então uma voz ecoa: “O SENHOR te repreende, ó Satanás” (Zacarias 3:2). O Senhor, o justo Juiz, olha para Josué. “Tirai-lhe as vestes sujas” (Zacarias 3:4), Ele ordena. Então o Senhor diz a Josué: “Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade e te vestirei de finos trajes” (Zacarias 3:4).

Amigos, assim como Josué, chegamos ao julgamento com roupas sujas. O profeta Isaías escreve que: “todas as nossas justiças, como trapo da imundícia” (Isaías 64:6). Mas “se confessarmos os nossos pecados, ele (Jesus) é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9). Jesus nos purifica e nos dá Seu próprio manto de justiça. Quando nos rendemos a Ele, Ele guiará nosso caso através do julgamento. Ele está do nosso lado! Ele promete: “O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos” (Apocalipse 3:5).

Nossa parte é confessar nossos pecados, aceitar Seu dom de perdão e entregar nossa vida à Sua liderança. Ele se alegra em nos salvar! Não precisamos temer o julgamento com Jesus ao nosso lado.

Purificação completa do santuário celestial

Em breve serão ditas as palavras: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se” (Apocalipse 22:11). Uma vez que essas palavras sejam ditas, o caso de cada pessoa terá sido decidido – aqueles que são a favor e aqueles que são contra Deus. Por mais que o coração de amor de Deus queira salvar cada pessoa, Ele respeita as escolhas que cada pessoa fez. Jesus terá terminado Sua obra de intercessão. O último pecado foi apagado. O santuário celestial foi purificado do pecado.

Após a purificação do santuário celestial, Jesus retornará à terra e todos os que escolheram aceitar Sua dádiva de salvação se juntarão a Ele e a Seus anjos no ar, prontos para ir para o céu.

Agora mesmo, Jesus permanece no santuário celestial. Ele está pronto para perdoar nossos pecados, assim que estivermos prontos para confessar. Ele está pronto para creditar em nossa conta o preço que pagou. Você aceitou Seu dom de perdão e purificação? Se não, convido você a fazê-lo agora mesmo, enquanto oramos juntos.

Pai nosso que estás nos céus, obrigado por enviares Jesus para pagar o preço pelos nossos pecados, para nos dar Seu manto de justiça para comunicar o poder santificador em nossas vidas, para nos tornarmos cada vez mais semelhantes a Ele, Cristo. Obrigado por este dom da salvação! Senhor, agora nos entregamos em Tuas mãos, pedindo que Tu nos guies durante o julgamento. Como podemos nos perder se confessarmos nossos pecados e nos colocarmos do lado de Jesus? Ele nos conduzirá! Obrigado por nos ouvires nesta oração e pelo poderoso e maravilhoso privilégio da salvação por meio de Jesus Cristo, em cujo nome pedimos. Amém.


Ted Wilson é o presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Carregar mais por PORTAL SANTUARIO CELESTIAL
Carregue mais ARTIGOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Justiça que salva

Livro apresenta a obra de Cristo no santuário celestial. Conteúdo explora a importância do…